Desejo Sexual Masculino

Informações confiáveis de saúde na Internet- Portal direcionado ao público em geral que tem por objetivo a informação, divulgação e educação sobre temas de saúde com mais de 750 artigos escritos exclusivamente por mais de 30 especialistas. Inicialmente, eu queria explorar assunto porque notei uma mudança na maneira como meus amigos heterossexuais falavam sobre sexo — e a frequência com que faziam também. Descobri que os homens tendem a produzir menos testosterona depois dos 30, que em casos extremos pode levar a queda do impulso sexual ou até disfunção erétil. Claro, há mais fatores que determinam por que a testosterona dos homens pode diminuir depois dos 30 — como estilo de vida, peso ou saúde mental — mas considerando que somos uma geração de eternas crianças adultas , fiquei imaginando se um declínio do impulso sexual é um problema agora que estamos envelhecendo, e como estamos lidando com isso. E se isso é uma coisa biológica ou há outros fatores sociológicos envolvidos.

Se você se identificou com a pergunta acima, saiba que não está sozinha. E se nunca viveu essa situação, tenha certeza de que é muito mais comum do que você imagina. Um estudo realizado pela psiquiatra, sexóloga e coordenadora do projeto da sexualidade no Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, Carmita Abdo, aponta que metade das brasileiras apresenta algum tipo de disfunção sexual, como falta de libido, dificuldade de manter a excitação e inibição do orgasmo.

tratamento do prolactinoma é com remédios, que também reequilibram a produção de testosterona. Já em outros tipos de tumor na hipófise, pode haver necessidade de cirurgia. "Às vezes esses tumores só são diagnosticados quando crescem e comprimem nervo óptico, afetando a visão", explica Musolino. Por isso, investigar melhor uma queda nos níveis de testosterona é importante, sugere a médica.porque abaixa a testosterona









A testosterona é principal hormônio do sexo masculino -embora seja encontrado também no organismo da mulher, só que em menor quantidade. É fundamental para desenvolvimento dos tecidos reprodutores, como os testículos e próstata, para aumento da massa muscular e para crescimento de pelos, além de regular desejo sexual. Como a taxa de testosterona no corpo vai diminuindo conforme a idade avança, essa é a principal causa de baixa libido entre os homens mais velhos. Mas os mais jovens também podem sofrer com essa baixa. Um dos sinais que podem indicar a queda do hormônio é a ausência de ereção ao acordar pela manhã. tratamento é simples, feito com a reposição do hormônio por meio de injeções ou comprimidos, mas é necessário cuidado extra com pacientes que tenham pressão alta, diabates e problemas de coração.

Primeiro é preciso procurar um médico de confiança, não vá diretamente a uma clínica especializada, que pode ser muito cara e desnecessária se você não conhece a causa do problema. Seu médico deve descobrir que está gerando a falta de libido depois de examiná-lo, conversar com você e fazer alguns estudos.

Esse é sintoma mais específico para desconfiar de baixos níveis de testosterona no organismo. "Inclusive, pode ser possível perceber uma perda da potência sexual, ou mesmo uma disfunção erétil ", explica a endocrinologista Ruth Clapauch, da Sociedade Brasileira de Endocrinologia. Um sinal mais claro para a deficiência desse hormônio pode ser a falta de ereções matinais - aquelas ereções "involuntárias", que se tem ao acordar. endocrinologista Pedro Saddi, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), afirma que homens com essa característica também têm maiores chances de sofrer com infertilidade. Entretanto, os baixos níveis de testosterona por si só raramente são a única razão para ereções mais fracas - outros problemas como doenças cardíacas e diabetes, também podem estar associados.

Os sintomas não necessariamente aparecem todos juntos e a intensidade pode variar. A queda nos níveis de testosterona, a longo prazo, pode estar associada ao desenvolvimento de níveis anormais de colesterol e à síndrome metabólica, que aumenta inevitavelmente a probabilidade de manifestação de doença cardíaca, acidente vascular cerebral e ataque cardíaco.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *